60 a Educação Infantil não aguenta

Atualizado: 11 de mai.


A Educação Infantil como preconiza a LDB de 1996 consiste na primeira etapa da educação básica. Esse atendimento educacional é ofertado de zero  á 4 anos prioritariamente em Creches e de 4 a 5 anos, na Pré-escola.

A oferta desse atendimento na maioria das cidades brasileiras, e ofertado em escolas que atende de zero a 5 anos ,11 meses e 29 dias com denominações variadas sendo que poucas cidades brasileiras oferta o atendimento da educação infantil em espaços distintos.

Os Educadores da infância são  professoras (es) que exercem o magistério com práticas pedagógicas distintas das demais etapas do sistema educacional. O trabalho desses profissionais não dissocia o cuidar e o educar devido bebês e crianças pequenas, necessitarem dessas didáticas que permeiam seu desenvolvimento físico, emocional e cognitivo.

Devido a necessidade de se manter a qualidade vincular entre os educadores, bebês e crianças pequenas, a carga horária desses profissionais é, com raríssimas exceções maior que a dos demais professores e, a exigência da compreensão do desenvolvimento desses educandos são cada vez maiores o que os levam após as mudanças na legislação se especializarem cada vez mais o que é muito bom para a melhoria da qualidade do atendimento na educação infantil.

Pensando na especificidade do trabalho dos Educadores da Infância onde o exercício do magistério é diferente e de um outro nível de complexidade em relação as demais etapas educacionais, vimos através deste documento demonstrar aos parlamentares que compõem o Congresso Nacional, um pouco do trabalho que é exercido pelos educadores da Infância para que possam entender a impossibilidade desses professores terem a sua idade mínima para se aposentarem elevada em 10 anos.

Observamos que entre todo debate acerca da reforma da Previdência, não observamos até o momento as questões que aqui levantamos acerca das especificidades da docência na Infância e convidamos os nobres parlamentares a observarem através das imagens que anexamos a este documento um pouco das especificidade a que referimos e para além das nossa preocupações com as dificuldades e até impossibilidades de realizarmos as nossas tarefas com êxito caso ocorram as mudanças pretendidas, emprestamos as nossas vozes a todos bebês e crianças pequenas brasileiras que anseiam cada vez mais por uma Educação Infantil de qualidade para que o exercício da Infância lhes sejam garantido por direito e dever do Estado e para isso entendemos ser necessário que a decisão de suas intervenções e sugestões de emendas a essa alteração Constitucional sejam precedidas de um olhar para a delicadeza e magnitude do problema que apresentamos.

Contamos com a intervenção e o voto dos senhores e senhoras ao nosso pleito.

Sindicato dos Educadores da Infância.

Paulinha aqui coloque as fotos comentada que ficaram em anexos e ai traga as suas fotos e as suas contribuições que não viu no texto coloque nas legendas das fotos de forma objetiva

Para as trocas de fraldas, banhos, a professora pega as crianças no colo e as colocam no trocador – com o passar do tempo, pegar  crianças no colo e são todas as crianças do módulo, se torna cada vez mais difícil e após os 50 anos muito penoso, não aguentamos.

Auxiliamos as crianças na higiene pessoal, mas o mobiliário é adaptado ao tamanho da criança… será que as dores no corpo que começam a se intensificarem a partir dos 50 anos, permitirão que a professora se abaixe com tanta frequência?

As crianças têm autonomia para se alimentarem, mas algumas necessitam de auxílio e, novamente, o mobiliário é adaptado à criança o que obriga os professores de educação infantil ficarem curvados durante toda a atividade

Durante as atividades pedagógicas, a professora também está totalmente voltada para as necessidades das crianças:

Em alguns momentos é necessário segurar a criança pelas mãos para que sinta diferentes texturas com os pés

Ou segurá-la quando demonstrar insegurança

Utiliza diferentes materiais possibilitando movimentos diversificados – neste caso, balançando o tecido novamente como quase todas as atividades tem que se curvarem o que leva próximo aos 50 anos problemas de desgaste na coluna

Auxilia nas atividades pedagógicas sempre tendo que se curvarem devido o mobiliário ter que corresponder ao tamanho das crianças

A professora se abaixa para ficar na altura da criança, permitindo que ela possa tocá-la

Estimula as crianças em seus primeiros passos

Se abaixa para que a criança interaja com ela

Senta no chão para que fiquem da mesma altura

Senta no chão para cantar

Se abaixa para encorajar a participar da atividade

Conta histórias na mesma altura das crianças

Senta para organizar o material para a atividade e também observar as crianças enquanto conversa com elas sem auxiliares na maioria das escolas

A afetividade está sempre presente, em todos os momentos,,durante o dia diversas vezes a professora pega crianças pequenas e bebês no colo nas mais variadas posições

Não é porque a criança cresceu um pouco que ela deixa de ter o atendimento integral da professora…na pré escola o cuidar e o educar também não são dissociados devido a criança ser ainda muito pequena…

Ela se abaixa para proporcionar diferentes vivencias

Senta no chão para contar histórias, ouvir relatos, interagir com as crianças

Observação: Na maioria das cidades brasileiras o atendimento da faixa etária de zero a 5 anos e realizado na mesma unidade escolar e devido ao vínculo que se estabelece do adulto com bebes e crianças a carga horária desses profissionais é superior aos demais professores pois a qualidade vincular não pode ser afetada e mesmo nas cidades onde este atendimento é separado (minoria das cidades brasileiras), a especificidade do atendimento é o mesmo.

Apresenta diferentes movimentos corporais

Segura no colo quando necessário – neste caso, auxiliar uma criança que não conseguia “pular a fogueira”

Se abaixa para ouvir o que a criança tem para dizer

Após os 50 anos, a professora que exerce o magistério na faixa etária de zero a cinco anos,11 meses e 29 nove dias, devido as mudanças hormonais que se dão em virtude da fase da menopausa, desgastes ósseos, perde a flexibilidade corporal tão necessária para as atividades de cuidar e educar exercidas com bebês e crianças pequenas.

Observamos aqui que a grande maioria  começam a serem avós nesta idade ( 50 anos) e nem mesmo com os  os próprios netos, conseguem ter a disposição e flexibilidade  física necessária para exercerem  as atividades lúdicas que requerem muita fluidez  e saúde emocional  que a faixa etária exige que dirá,  como já mencionamos em salas super lotadas de crianças sendo que na rede pública  sequer contam com auxiliares.

Portanto senhores e senhoras parlamentares, elencamos neste documento um extrato de nossas atividades para que julguem através dos seus votos se é possível desempenharmos as nossas atividades até os 60 anos como esta previsto na proposta de alteração Constitucional.

Os senhores e senhoras q decidirão através dos seus votos, a idade mínima para todos os trabalhadores do país e pedimos que  possam considerar a nossa especificidade no magistério e retirem da PEC 287 as Professoras(es) que exercem o magistério na faixa etária de zero a cinco anos, devido ser impossível exercemos sem prejuízo as atividades que são necessárias serem desenvolvidas com bebês e as crianças pequenas.

Certos de contar com a compreensão do Congresso Nacional, finalizamos afirmando que  60 anos, os Professores de Educação Infantil não aguentam.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo